31/01/2023 às 20:05

Entrevista com Willian Ohara Sakamoto (Shinigami Records)

62
3min de leitura

Willian Ohara Sakamoto é dono da gravadora Shinigami Records, famosa por ter no catálogo diversas bandas famosas de rock e heavy metal. Conversei com ele sobre como anda esse mercado atualmente e sobre curiosidades do selo. Boa leitura!


Como surgiu a ideia de começar a Shinigami Records?

Na verdade, a gravadora foi só a evolução do trabalho que eu vinha fazendo. Meu caminho foi o inverso da maioria: Primeiro, montei a minha distribuidora de CDS em 1998, depois fui trabalhar na Century Media Records Brasil e daí foi um pulo para montar a minha própria gravadora.

Como você analisa a concorrência com os streamings?

Não acho que seja concorrência, simplesmente uma nova forma de consumir música e de divulgar o trabalho. Hoje, não penso nas pessoas como compradores de CDS e sim como colecionadores, por isso tentamos fabricar nossos produtos com a melhor qualidade possível.

Qual artista/álbum você mais se surpreendeu com as vendas recentemente?

Não é a banda que mais vendeu mas me surpreendeu porque não esperava vender as 500 unidades tão rápido, vou até fazer uma nova tiragem. Foi o álbum "Of Kingdom And Crown" do Machine Head.

Já li que artistas internacionais costumam ter resistência em lançar álbuns por selos brasileiros. Você analisa dessa forma também? O que é preciso para que os artistas internacionais aceitem lançar aqui?

Essa resistência existia um tempo atrás pois alguns selos, que hoje não existem mais, ou não pagaram ou fabricaram mais do que tinha direito. Hoje não existe mais isso, hoje quem deseja licenciar um título, deve mandar antes o valor que o artista ou a gravadora quer.

Qual dica você daria para um artista que está começando e quer conseguir abertura em um grande selo para gravar um álbum?

Meu conselho é já ter o disco finalizado e um press kit com informações da banda e das músicas. Não precisa mandar um disco físico, mas também não é aceitável enviar um link com o áudio gravado pelo celular de um show o ensaio. Falo por mim, se eu abro um link e o áudio não tem qualidade, paro de ouvir.

Também aconselho que aceite dividir o custo da fabricação com a gravadora, assim terá uma gravadora trabalhando junto com você. Você tem que ver a gravadora como parceria e não como concorrente.

E outro conselho, além de ter qualidade, é trabalhar muito. Você não pode achar que é apenas lançar o CD e fazer um anuncio que as coisas vão acontecer.

Qual lançamento ou artista é o maior sonho para a gravadora lançar e até hoje não rolou?

Eu entrei em contato com a Sony Music Internacional e fiz uma oferta para lançar o novo álbum de Ozzy Osbourne e eles pediram para entrar em contato com a Sony Music Brasil que nunca me respondeu. Talvez, eles acharam que a oferta não estava de acordo ao nível do Ozzy mas, se pensarmos no mercado brasileiro, foi uma boa oferta.

Qual maior orgulho / maior feito que a Shinigami realizou até hoje na sua opinião?

Acho que o maior feito é ainda estar no mercado e estar lançando nacionalmente quase 100 títulos por ano.

Teve algum artista que realizou uma exigência curiosa para aceitar lançar o disco? Caso sim, como foi?

Isso não acontece muito com os CDS, acontece mais com os shows, que aí sim são realmente malucas. A única banda que, até hoje, pediu algo foi o Behemoth que sempre solicita para eu tentar lançar igual ou o mais próximo possível do lançamento original.

http://www.shinigamirecords.com.br/

https://www.lojashinigamirecords.com.br/

https://www.facebook.com/ShinigamiRecords/

https://www.instagram.com/shinigami.records.br/

https://twitter.com/shinigamirec

31 Jan 2023

Entrevista com Willian Ohara Sakamoto (Shinigami Records)

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

shinigami