08/04/2022 às 18:05 Resenhas de Discos

Shaman aponta para o futuro e faz de “Rescue” muito mais do que um resgate interno

350
2min de leitura

Rescue” é a palavra inglesa para “Resgate”, que significa “tomar, pegar de volta”. Ao batizar o novo álbum do Shaman, paira a dúvida: o que deve (ou precisa) ser resgatado?

A resposta abriga um largo espectro. O mero resgate da sonoridade do “Ritual” e “Reason” seria contar a história pela metade. Resgatar a aura do saudoso Andre Matos? Difícil, embora Alírio Netto seja grande por si.

Na verdade, o resgate que o Shaman se propõe é interno. Um mergulho no autoconhecimento para identificar como verdadeiramente cada um dos integrantes pode contribuir para engrandecer o todo – uma espécie de “um por todos e todos por um” que deu certo.

Se o resgate está presente conceitualmente e espiritualmente, no quesito musicalidade a história não é bem assim. Isso porque músicas como “Time is Running Out” e “The ‘I’ Inside” são um grande salto para frente – em direção a modernos riffs pesados de Hugo Mariutti e o baixo potente que cala fundo de seu irmão Luis Mariutti.

Entre flautas e tambores místicos que remetem ao passado e a produção de Sascha Paeth que aponta para o futuro, surge soberano Alírio Netto – aquele que sofre com a inevitável comparação com Andre Matos. Basta, porém, as primeiras e sutis notas de seu piano em “Gone Too Soon” – tocante homenagem ao saudoso Maestro – para que um sincero sorriso se abra na boca do fã da história do Shaman.

De personalidade própria, Alírio respeita o legado de Andre. E quer respeito melhor do que ser você mesmo e mostrar ao mundo a cara desse novo Shaman?

Teria Andre Matos aprovado “Rescue”? Como canta o verso de uma das músicas: “The spirit has the answer” (o espírito tem a resposta). A nós, meros mortais, cabe admirar a força de vontade de uma banda que não se curtiu diante da perda de um amigo e tampouco se agarrou nesse luto de forma a ficar presa.

“Rescue” é um presente para o próprio Shaman, que soube saborear os doces frutos que o amadurecimento traz.

Como apontou Luis Mariutti em uma entrevista, “Rescue”, “Ritual” e “Reason” apresentam 6 letras e também começam com a letra “R”. Entretanto, a coincidência mais importante (invisível e sutil) é que de uma forma ou de outra esse trio abriga a mesma alma.

E só ela tem a resposta final.

08 Abr 2022

Shaman aponta para o futuro e faz de “Rescue” muito mais do que um resgate interno

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Quem viu também curtiu

15 de Jun de 2021

Ao resgatar elo perdido intergeracional, Helloween prova que o inteiro é maior que a soma das partes

28 de Jan de 2021

Resenha de disco: "Marching Out Of Babylon" - Pantokrator

13 de Abr de 2021

Resenha do disco "Hermitage", da banda Moonspell